Encontro em São Paulo – 10/11/18

Olá a todos,

Após várias observações e relatos, tenho que admitir que os nossos encontros horizontais aqui na cidade da garoa estão cada vez mais lotados e melhores!

No dia 10 de novembro, em uma manhã de sábado ensolarada, reunimos profissionais, aspirantes e curiosos da interpretação no agradável espaço externo da Alumni, no bairro Jardins.

Foi a vez do Renato Geraldes, da Marília Aranha, da Luiza Levy e da Beatriz Silke compartilharem a experiência como intérpretes.

Dessa vez não foi palestra ou oficina; foram duas horas proveitosas de interação com muitas perguntas do público.

A preparação do intérprete, os tipos de clientes, o envio antecipado ou não dos materiais a serem estudados para o evento, os preços, as parcerias com outros colegas, a postura esperada, a entrada no mercado, indicações de cursos e até as saias-justas vividas nesse mundo entraram na pauta.

A Beatriz Silke, intérprete de um raro idioma nessa área e com muito tempo de estrada, (o 9º alemão), iniciou apresentando a sua formação: Letras na USP e Intérprete de Conferência pela PUC-SP(curso não mais existente), destacando a importância de uma formação para um ofício tão complexo.

Os sócios da empresa Língua Franca, Renato Geraldes e Marília Aranha,falaram como entraram na área (começaram com interpretações no aeroporto de Guarulhos) e compartilharam as suas experiências em eventos, cuidados a serem tomados (como confirmar sempre se o volume da cabine está desligado antes do evento), ética, cartas na manga e postura com o cliente (idiomas contratados = negócio fechado).

A Luiza Levy, intérprete e professora do curso de Tradução e Interpretação da Alumni, contou um pouco de sua experiência como intérprete e professora, destacando a importância de o intérprete estar sempre antenado e buscar informações sobre o tema do evento.O profissional sempre deve preparar-se para o esperado e para o inesperado.

Um grande destaque foi ter a presença da intérprete pioneira do Brasil e fundadora do curso da Alumni: a querida Angela Levy.

Foi muito bom ter visto tantas pessoas interessadas nessa área. Muitos queriam saber como entrar nela; mas como vimos: não existe uma“receita de bolo”.

Se você tem interesse, o ideal é buscar especializações e sempre comparecer aos eventos para ser lembrado e indicado para um trabalho e, uma vez atuante, é necessário saber lidar com seus fluxos altos e baixos de trabalhos.

Parabéns mais uma vez às organizadoras e aos palestrantes por proporcionarem um momento tão bom!

Até a próxima!

Foi um prazer ter participado de mais um encontro e que cada mês de setembro seja comemorado com eventos que trazem mais visibilidade a nós, tradutores e tradutoras de São Paulo e do Brasil!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *