Encontro em São Paulo – 23/06/18

No dia 23 de junho de 2018, das 10h às 13h, foi realizado o XI Barcamp de Tradutores e Intérpretes de São Paulo, no Instituto Goethe, em Pinheiros. Nesse mesmo dia, a colega tradutora, Giovanna Ramalho, deu o seu depoimento em um novo canal chamado “A Voz do Tradutor”, um podcast realizado pela Escola de Tradutores e organizado por Damiana Rosa de Oliveira. Como podemos ver, a comunicação entre os profissionais da área de tradução e interpretação está cada vez mais ativa.

Voltando ao Barcamp, o local foi uma ótima escolha. Beatriz Silke Rose já conhecia o instituto e conseguiu que eles disponibilizem ao grupo uma sala ampla para a reunião.

A tradutora Claudia Muller começou falando sobre a organização de arquivos eletrônicos e compartilhou com o grupo um método próprio, que pode ser adaptado a qualquer pessoa, conforme a sua necessidade. Se você é tradutor, sabe que a organização de arquivos é imprescindível para que consiga realizar uma busca rápida, se for preciso, do contrário, esse tempo gasto procurando por glossários, materiais de referência, arquivos de trabalho e outros documentos, inclusive originados pelas CAT Tools, pode prejudicar a sua produtividade.

O backup foi outro ponto abordado pela Claudia. É muito natural que na pressa você adie o backup, mas o risco pode ser grande porque se ocorrer algum problema com o seu desktop ou notebook e você não tiver os arquivos previamente guardados em algum lugar, é dor de cabeça na certa. Já aconteceu comigo e perdi tudo, sem possibilidade de recuperação de arquivos que mantinha no meu notebook.

Mas qual é a melhor opção de backup? Isso depende da sua adequação às plataformas. Na apresentação, Claudia falou sobre o backup físico (HD externo, pendrive, CD/DVD, etc.) e do backup online. Quanto a este último, há várias opções, como: Google Drive, Dropbox, One Drive e outras ferramentas, no entanto, a preferência é sua.

Logo após o café, iríamos assistir à apresentação da tradutora Edi Oliveira, mas acabou a luz. Na minha opinião, foi ótimo porque pudemos conversar sobre o que havíamos visto. Acho até que esse formato de Barcamp é muito mais interessante. Sempre é bom haver um espaço para que o grupo possa trocar ideias; reduz o estilo didático e amplia a interação.

Em meio à discussão sobre as formas de armazenagem e backup de arquivos que alguns utilizam, Daniel Erlich falou sobre a nova diretoria do SINTRA e sobre os projetos que o sindicato está desenvolvendo com o intuito de torná-lo mais conciso e voltado às necessidades dos profissionais de tradução e interpretação.

A professora, tradutora e audiodescritora Ana Julia Perrotti-Garcia lembrou a todos de que nos dias 17 e 18 de novembro ocorrerá o PROFT 2018, no hotel Pestana, em São Paulo; um simpósio com apresentações e oficinas, direcionado aos tradutores, intérpretes e simpatizantes dessas áreas.

Parabéns à organização e ficamos no aguardo do próximo Barcamp.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *