O Tradutor Especialista

Tudo está sendo traduzido: desde as chamativas descrições de produtos e panfletos religiosos até projetos de usinas nucleares. Algumas dessas áreas são mais prazerosas para traduzir, enquanto outras são mais lucrativas. É por isso que a decisão um tradutor especialista a respeito de qual área se concentrar pode ser crucial para toda a carreira. Não se especializar não é mais uma opção na área de tradução.

O que levar em consideração na hora de definir as áreas de especialização?

Habilidade

Nem todo mundo pode se tornar um tradutor literário, mesmo que tente. Nem todo mundo trabalha bem com textos jurídicos. Algumas pessoas, como eu, nunca serão intérpretes de medicina (tentei uma vez, e não, muito obrigado). Não há nada vergonhoso em ser bom em um tipo de texto, e recusar outro. Nossas próprias habilidades e predisposições são cruciais.

Dinheiro

Os valores não são iguais em todas as áreas. De forma geral, quanto mais rica a área do negócio, mais dinheiro há para se gastar em traduções. Com esse pressuposto em mente, não é exatamente difícil identificar a vanguarda em termos de tarifas altas. Se não quisermos acabar reclamando da baixa renda, devemos ter esse fator em mente.

Interesse pessoal

Não podemos ir contra nossas próprias preferências, podemos? Se eu tivesse que traduzir um texto que não aprecio ou um assunto que eu considero desagradável, ou até mesmo algo que vai contra as minhas crenças, eu me debateria. Eu seria capaz de entregar uma tradução correta, mas… onde está aquele toque especial? Onde está aquela sutil ingenuidade de que me orgulho? Deve ter ficado com os textos que me agradam.

Pessoalmente, eu decidi misturar esses fatores quando escolhi minhas áreas de especialização. Há algo que faço por dinheiro (jurídico), algo em que sou hábil (negócios), e algo que eu de fato gosto (TI). É um bom ponto de partida, e eu tenho o equilíbrio que preciso.

Como se especializar?

É um problema constante para graduandos recentes ou para pessoas entrando na profissão. Costumam pensar que não têm nada para começar, porque nunca traduziram muito dentro de uma certa área. Bem, acho que devemos saber quais são nossas áreas de especialização antes de ganhar experiência dentro delas.

É como os médicos: eles estudam para se especializar antes, e apenas então começam a trabalhar. Não o contrário! Então, vamos supor que você se formou em tradução e quer começar a trabalhar. O que você faz?

1. Planejar

Antes de qualquer coisa, pense nesses três fatores que mencionei acima e tente ter ideias sobre suas áreas de especialização. Não se esqueça de considerá-las em relação à procura pelo seu par de idiomas no seu país (por exemplo: nem todo país exporta e importa petróleo, embora a indústria de petróleo e gás pague bem).

2. Portfólio

Você deve ter suas áreas de especialização em mente quando for criar seu portfólio de traduções. Com ele, poderá reforçar suas afirmações com evidências concretas. Também será uma chance para você ter certeza de que pode lidar com essas áreas.

3. Educação e desenvolvimento

Você tem o seu diploma em tradução, ótimo! Mas se quiser se especializar em direito ou TI, terá mais chances de entrar no mercado se tiver uma qualificação adicional na sua área de especialização. Não precisa ser um diploma. Procure cursos, webinars, conferências, apresentações, certificações do setor. Por que não se juntar a organizações profissionais relacionadas ao assunto?

4. Leia a respeito do assunto

Leia, em ambas (todas?) as línguas. Assine publicações profissionais dentro da área, leia blogs profissionais, também assine jornais. Essa é a melhor forma de se tornar um expert dentro da área. Você obtém conhecimento relacionado ao assunto, mas também desenvolve sua base terminológica.

5. Público-alvo

Tente encontrar clientes que apreciam suas áreas de especialização e não tenha medo de dizer que trabalha apenas dentro de tal domínio. Até agências hoje em dia estão distantes de ter um grupo de tradutores fazendo de tudo para todos, e você pode negociar preços mais altos como um especialista na área.

Como foi a sua jornada para se tornar um especialista? Você teve um plano, ou tudo meio que aconteceu?

 

Texto original: “The Specialised Translator” (Lesson 34) do e-book “Business School for Translators Lessons”, de Marta Stelmaszak-Rosa. Tradução de Gabriel Kliggendorf, com autorização da autora.

Tradução de Gabriel Kliggendorf, com autorização da autora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *